Vitória: Capital Capixaba

Vitória, a capital do estado do Espírito Santo é uma cidade capaz de inspirar os poetas e de acolher ao mesmo tempo o desenvolvimento e o progresso. Em meio a jargões populares como “Cidade Presépio” ou “Delicia de Ilha” encontramos na cidade um moderno complexo portuário, indústrias e comercio diversificado, eficiente e eficaz ao turista comum e ao turista de negócios.




Não há quem chegue a Vitória e não se encante com a beleza de suas ilhas e as mais diversas pontes que compõe a arquitetura da cidade, assim como praças , hortos, unidades de conservação, que estão por toda parte. Rica em sua história, por ser uma das primeiras descobertas do Brasil.

Observa-se essa história nas igrejas e conventos seculares, fortes e escadarias que se espalham pelo Centro da cidade. Os moradores desta cidade convivem em harmonia com o moderno e o histórico no seu dia-a-dia e são privilegiados na sua qualidade de vida.

“Cidade Sol, com céu sempre azul, cidade estrela de luz, noite azul. Meu coração te namora e te quer. Tu és Vitória um sorriso de mulher”. Hino de Vitória

Vitória faz parte de três Rotas de Turismo Capixaba: Rota do Sol e da Moqueca: Esta rota envolve os municípios de: Serra; Vitória; Vila Velha; Guarapari e Anchieta. Rota do Mar e das Montanhas: Esta Rota envolve os municípios de: Vitória; Santa Teresa; Domingos Martins e Venda Nova do Imigrante. Rota do Verde e das Águas: Esta Rota envolve os municípios de Vitória; Aracruz; Linhares; São Mateus e Conceição da Barra.

Atrativos Culturais de Vitória

Vitória é uma cidade de variados tipos de passeios e diversões. Então esses são apenas algumas das opções culturais:


Leia Também: Carnaval de Vitória 2019

Leia Também: PARQUE MOSCOSO – Vitória


Palácio Anchieta

O conjunto monumental do Colégio de São Tiago, atual Palácio Anchieta, começou a ser erguido a partir de meados do século XIV pelos padres jesuítas. Após a expulsão da Companhia de Jesus do Brasil o colégio passou a ter diversos usos institucionais.

No período do governo Jerônimo Monteiro, 1908 a 1912, o edifício sofreu grandes transformações afim de ser adaptado ao gosto da época. No ano de 1998 teve suas fachadas revitalizadas que ganharam novamente a coloração original.


Leia Também: Rota da Cachaça no Espírito Santo


O Palácio está situado na Cidade Alta, no centro da capital, de onde se tem uma boa visão da Baía de Vitória. Em frente à fachada principal há uma escadaria que, a exemplo de tantas outras, serviu, a partir do final do século XIX, de ligação com as novas áreas de expansão da cidade, que eram aquelas em torno do porto.

Atualmente, esta região, apesar de muito alterada, mantém ainda sua importância na cidade, pois é o local de concentração dos poderes executivo e judiciário, da Catedral de Vitória e de vários edifícios residenciais e comerciais. A fachada lateral esquerda, de acesso mais restrito, mantém a entrada do túmulo do Padre José de Anchieta.

É um edifício de relevante interesse arquitetônico, tendo em vista o seu caráter monumental e seu estilo eclético.

Código: Vit 01

Túmulo do Padre José de Anchieta

O monumento é constituído por uma cripta e uma lápide de granito onde estão depositados os restos mortais do Beato Anchieta. O acesso ao mausoléu se dá por uma passarela de madeira, construída sobre as escavações arqueológicas realizadas no local que foi a capela-mor da Igreja de São Tiago. Anexo ao mausoléu um pequeno museu conta a história do Beato.

Catedral Metropolitana de Vitória

Edificada quase no mesmo local onde estava localizada a antiga matriz de Vitória, a catedral teve sua construção iniciada na década de vinte e somente foi concluída na década de setenta do século XX.

Localizada na Cidade Alta, na Praça Dom Luís Scortegagna, em estilo neogótico, com nave, capela-mor, coro, sacristia, transepto e cripta, a catedral possui relevante interesse arquitetônico, principalmente pelo seu estilo único na capital.


Leia Também: Pico da Bandeira: o terceiro maior ponto do Brasil


Como Chegar: o acesso à Cidade Alta se dá pela principal via do Centro, a Avenida Jerônimo Monteiro. Nesta, encontra-se a Praça Costa Pereira. Contornando esta praça, entrar na Rua Graciano Neves ou Rua 13 de Maio.

De ônibus o acesso é praticamente o mesmo pela Avenida Jerônimo Monteiro, depois subir a escadaria Maria Ortiz pela Rua Duque de Caxias, em frente à Praça Oito ou pela Escadaria Dionísio Rosendo em frente à Praça Costa Pereira.




Santuário de Santo Antônio

Foto Joel Miranda

Foi construído no alto de uma elevação pelos padres Pavonianos na década de 60. Sua imponência e arquitetura é ressaltada por três cúpulas de inigualável beleza. Do local pode se ter uma bela vista da Baía de Vitória.

Como Chegar: Ilha do Príncipe, entrada sul da cidade, chega-se ao Bairro Santo Antônio. Pela Rodovia Serafim Derenzi continuar até a Volta do Rabaioli. O santuário está logo depois da Volta do Rabaioli, ao lado da baía.

Panela de Barro Capixaba

A panela de barro é uma tradição milenar no Espírito Santo. A cerâmica em argila queimada era fabricada pelos índios ainda antes da colonização portuguesa.


Leia Também: CULTURA CAPIXABA


Esta tradição se mantém viva graças às paneleiras de Goiabeiras, que há várias gerações, continuam fabricando artesanalmente as autênticas panelas de barro, que estão associadas à genuína culinária espírito santense, principalmente no preparo da moqueca e da torta capixaba.


Leia Também: Vila Velha: é aqui onde tudo começou


Para fazer as panelas, as artesãs retiram a argila do Vale do Mulembá, situado no bairro Joana D’arc, na Ilha de Vitória. Levado para o Galpão das Paneleiras em Goiabeiras, o barro passa por um processo de limpeza no qual são retirados os grãos de areia maiores e a matéria orgânica visível, para que seja amassado, manualmente, em seguida.

É o momento que inicia-se o processo de confecção da panela, através de uma técnica de modelagem aplicada a partir de uma bola de barro.

O acabamento da panela é feito com seixos rolados (pedras de rio), casca de côco, facas e estiletes. A peça totalmente modelada é colocada ao ar livre para secar e depois de seca, é alisada com um seixo rolado para retirar os grãos de areia mais grossos.

A partir daí, as paneleiras reúnem sua produção e queimam suas panelas. No final da queima, as peças, ainda quentes, recebem um tratamento de superfície com tanino (tinta retirada da casca das árvores do mangue), dando a coloração final e específica às peças.

Mercado da Vila Rubim

Temperos, ervas medicinais, artigos de umbanda, pescado, aves, pequenos animais, carnes, aviamentos para costura, artesanato, doces, balas, eletrodomésticos, calçados, roupas etc. Tudo isso se encontra na Vila Rubim, conhecida pelos capixabas pelo seu comércio diversificado.

O Mercado da Vila Rubim, inaugurado em 1969, foi reconstruído sobre uma área de 4 mil metros quadrados, após um grande incêndio, em 1 de julho de 1994. Além da construção dos galpões que abrigam 42 lojas, o mercado conta com uma praça e um mezanino central, além de sanitários adaptados para portadores de deficiência física.

Como Chegar: na chegada da cidade, vindo de Vila Velha ou de Cariacica. Avenida Duarte Lemos, 116. Vila Rubim

Conheça a Capital Capixaba!




Sandra Santos

O site girocapixaba.com é a concretização de um sonho, onde o foco é o turismo do estado do Espírito Santo. Não me canso de dizer: "O Estado do Espírito Santo é Lindo!"

Website: http://sandrasantos.net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *