GUARAPARI

Belíssima cidade capixaba, Guarapari atrai diversos turistas do mundo inteiro graças às suas belezas naturais e às areias monazíticas com virtudes alegadamente terapêuticas.

O nome da cidade de Guarapari vem do vocabulário indígena, derivado de guará (uma garça ave – ibis rubra – nasce branca, torna-se cinza, volta embranquecer, e por fim, a sua coloração é vermelho-carmesim) e pari ou parim– pesqueiro, lugar cercado para apanhar peixe, curral. E isso levaram os historiadores e os pesquisadores a pensarem que, os vocábulos guará + pari significam “laço ou armadinha de pegar peixe”.

A população estimada para o ano de 2017 é de 123.166 pessoas (IBGE) e a data de aniversário (emancipação política) da cidade é dia 19 de setembro, dia esse que a cidade sempre comemora com muitas festividades.

Sua área territorial [2016]  é de 591,815 km² (fonte IBGE)

Quem nasce em Guarapari é guarapariense.

Histórico da Colonização, etnia, costumes e tradições

Em 13 de julho de 1553 o jesuíta José de Anchieta, da Missão Evangelizadora do Novo Mundo chega ao Brasil com a missão de organizar o Colégio de Jesus. Neste mesmo ano visita a Aldeia de Reritiba, atual cidade de Anchieta, onde fica maravilhado com a beleza do litoral da capitania do Espírito santo.

Sendo assim, os jesuítas decidiram ser este o lugar para a catequização dos índios e fundaram quatro redutos. Sendo a primeira Aldeia a de São João entre a Serra e Vitória no ano de 1562; a segunda a de Reritiba em 1565; a terceira a de Reis Magos em Nova Almeida em 1569 e a quarta e última no ano de 1585.

O Padre José de Anchieta fundou a capela devotada a Santa Ana no alto da colina recebendo o nome de Jesuítas, depois; Aldeia de Nossa Senhora, depois, Aldeia do Rio Verde ou Aldeia de Santa Maria de Guaraparim. E conseqüentemente: GUARAPARI.

Sendo assim, a colonização começou no ano de 1569 e sua fundação em 1585 pelo governador Men de Sá e pelo Padre José de Anchieta. Em 1679 torna-se aldeia e em 1891, município. A origem do nome Guarapari é derivada do vocabulário indígena “GUARA” (ave vermelha) e PARIM (armadilha para pesca ou pássaro vermelho) A origem dos guaraparienses se dá de uma mistura de índios, portugueses, italianos e negros.

Hoje o município sente uma forte migração de outros estados, cidades e localidades.

O município tem seu marco histórico com o Livro “Guarapari Maravilha da Natureza” do Dr. Antônio Silva Melo, que relata sobre a riqueza medicinal das areias monazíticas tornando-a conhecida como nacionalmente como “Cidade Saúde”.

O município tem também no seu bojo cultural os artesanatos de conchas, de cerâmica, vidros e rendas. Tem também nas suas tradições os congos, a culinária maratimba (moquecas, tortas, bolos e doces), também desponta a culinária italiana como a polenta e outros pratos a base de massa.

Dentre todos os atrativos turísticos de Guarapari, a culinária capixaba merece uma atenção especial. Dos vários pratos baseados em frutos do mar, destacam-se a moqueca capixaba, a torta capixaba, dois pratos tipicamente capixaba.

A cidade de Guarapari começou com uma missão dos jesuítas no litoral sul capixaba. Tudo isso, em 1585, quando o padre José de Anchieta fundou a aldeia na capitania do Espirito Santo, que recebeu o nome da aldeia do Rio Verde, e depois Santa Maria de Guaraparim, Vila dos Jesuítas, Goaraparim, e finalmente Guarapari.

Sobretudo, foi a partir daí que os anais passam a descrever Guarapari em seus desdobramentos variados, seja por nomes que o município recebeu, por situação religiosa, política e socioeconômica.

Em divisão territorial datada de 1960, o município é constituído de 3 distritos: Guarapari, Rio Calçado e Todos os Santos. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2014 (fonte IBGE).

A cidade de Guarapari possui 4 circuitos turísticos que são: Turismo Náutico; Turismo Rural; Ecoturismo e Turismo Histórico e Cultural. Mais detalhes consultar o site da prefeitura AQUI.

Código: D3355

Guarapari tem praias para todos os gostos e estilos. Com mais de 30 praias, das quais podemos citar:

  • Três Praias;
  • Praia de Setiba;
  • Praia das Virtudes;
  • Praia D’Ulé;
  • Praia do Riacho;
  • Prainha ou Praia de Muquiçaba;
  • Praia dos Padres;
  • Praia do Morro;
  • Praia dos Namorados;
  • Praia da Fonte;
  • Praias de Guaibura;
  • Praia da Cerca;
  • Praia de Meaípe;
  • Praia da Areia Preta;
  • Praia do Sol
  • Praia Bacutia
  • Praia Peracanga
  • Praia das Castanheiras

COMO CHEGAR

De avião

O aeroporto mais próximo é o de Vitória, a 64 quilômetros

De carro

  •    Vindo de Vitória: acesso pela Terceira Ponte, Vila Velha e Rodovia do Sol (ES-060)
  •    Vindo de outras regiões do país: acesso pela BR-101 até a entrada da cidade

De ônibus

Empresas que prestam serviços são

  • Viação São Geraldo/Gontijo;
  • Viação Rio Doce;
  • Viação Itapemirim;
  • Viação Águia Branca.

ONDE FICAR

Sempre procure localidades para ficar com o AIRBNB clicando AQUI e ganhe desconto na primeira estadia.

Hospedagem de site ilimitada

Sandra Santos

O site girocapixaba.com é a concretização de um sonho, onde o foco é o turismo do estado do Espírito Santo. Não me canso de dizer: "O Estado do Espírito Santo é Lindo!"

Website: http://sandrasantos.net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *