Folia de Reis: festa e cultura

A Folia de Reis é uma tradição europeia antiga, disseminada em países de tradição católica. Chegou ao Brasil trazida pelos portugueses.




Leia também: Cultura Capixaba

Essa tradição envolve muitas superstições em torno de seus componentes, principalmente ao palhaço quem se veste de palhaço por um ano, tem um compromisso por mais seis anos consecutivos para completar os sete, para não correr o risco de se identificar com o demônio.

Os grupos são compostos por muitos componentes, chamados de foliões. Dentre eles estão incluídos: o mestre da folia, os palhaços e os tocadores. O mestre é quem organiza todo o grupo de foliões. Com seu apito, comanda as toadas e tira os desafios.

É geralmente uma espécie de líder espiritual que é respeitado por todos por ser detentor do conhecimento de todas as profecias. Os palhaços, segundo a tradição oral, representam tanto a figura do Rei Herodes como os soldados que açoitaram Jesus.

O aspecto bizarro assusta e diverte a todos. É sempre a maior atração das folias, cantando versos de improviso para quem os assiste.

Os tocadores são os músicos que animam a folia tocando bumbos, tarol, surdo, viola e sanfona e entoando as toadas. Estas cantorias possuem ritmo triste e alegre. Segundo o mestre, sua música espanta os maus espíritos para que o Natal passe em paz.

Normalmente, as folias iniciam sua peregrinação no ciclo natalino, a partir da meia-noite do dia 24 de dezembro, noite de Natal, prosseguindo até o dia 6 de janeiro, dia dos Santos Reis.

A jornada inicia com uma oração especial em seus próprios santuários, logo após, os foliões vão até a Igreja, para uma benção especial, de onde saem de costas. Fazem suas apresentações pelas ruas e nas casas que as convidam.

Código: D3044

Em sua peregrinação, chegam nas casas procurando o menino Jesus, nascido na noite do dia 24, simulando, dessa forma, a peregrinação dos três Reis Magos.

A Bandeira dos Santos Reis é o principal símbolo religioso da Folia. Cada enfeite que a integra tem um significado relacionado a Sagrada Família. Suas roupas são geralmente de cores variadas, principalmente o vermelho, o verde, o amarelo e o azul, com diversos adereços.

Os foliões vestem calças e camisas de cetim, usam um chapéu confeccionado por eles mesmos, enfeitados de fitas e decorado com espelhos.

Os palhaços usam roupas de chito com estampas coloridas e uma túnica com muitos babados. Escondem o rosto com máscaras de couro de cabra, também confeccionado por eles.

Folia de Reis em Terras Capixabas

Vargem Alta – As folias iniciam sua peregrinação no ciclo natalino, a partir da meia-noite do dia 24 de dezembro, noite de Natal, prosseguindo até o dia 6 de janeiro, dia dos Santos Reis. Do dia 7 a 20 de janeiro, dia de São Sebastião, saem para homenagear o santo de devoção, dessa vez, somente de dia e sem a presença dos palhaços.

A jornada inicia com uma oração especial em seus próprios santuários, logo após, os foliões vão até a Igreja, para uma bênção especial, de onde saem de costas. Fazem suas apresentações pelas ruas e nas casas que as convidam.

Santa Tereza – na folia de Reis, com características próprias, não há as tradicionais figuras dos palhaços e dos foliões. Assemelha-se a um coral que canta músicas natalinas pelas ruas da cidade no período de 24 dezembro a 6 de janeiro (Ciclo Natalino), anunciando o nascimento de Jesus. Seus componentes são de origem italiana.

Viana – a Folia de Reis é composta por aproximadamente 30 foliões, que representam os 12 apóstolos e o palhaço, que representa o soldado de Herodes. Desta forma, o número de palhaços pode variar, pois eram muitos soldados. A Folia de Reis encena a viagem dos Reis Magos para visitar o menino Jesus, que havia nascido.

São Mateus – a folia de reis é uma manifestação popular do folclore religioso. Apresenta-se em São Mateus há mais de trezentos anos. A apresentação consiste num ato popular com muitos personagens cujos nomes variam: Boi, Pai Francisco, Catirina, Doutor, Ema, Vaqueiro, Urubu, entre outros.

Unindo a temática dos reinados ao auto do bumba-meu- boi, a versão conhecida no norte capixaba tem início no dia 6 de janeiro, Santos Reis, e se prolonga até 3 de fevereiro, quando acontece a Festa de São Brás. Como instrumentos musicais utilizam sanfona, violão, pandeiros e chocalhos.




Sandra Santos

O site girocapixaba.com é a concretização de um sonho, onde o foco é o turismo do estado do Espírito Santo. Não me canso de dizer: "O Estado do Espírito Santo é Lindo!"

Website: http://sandrasantos.net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *